Polícia

16/03/2020 17:57

POLICIA CIVIL ESCLARECE MORTE BRUTAL DE IDOSO EM JI-PARANÁ

A Policia Civil, através da Delegacia de Homicídios de Ji-Paraná, esclareceu caso bárbaro de homicídio do
idoso de 65 anos de idade, do senhor Jucardi Henrique Pereira.
O corpo do idoso foi encontrado em seu barraco, na Estrada de acesso ao Bairro N. Srª Fátima , zona rural
de Ji-Paraná, no principio da noite do dia 7 de março, com as vísceras para fora, em virtude de vários golpes
de faca – ao que consta, mais de 10 facadas.
Foi realizado o registro de ocorrência e a partir daí a Delegacia de Homicídios passou a investigar o caso.
Apurou-se que o Senhor Jucardi morava só naquele lugar, com muita precariedade, sem luz elétrica e
dependendo de água dos vizinhos. O terreno em que ergueu seu barraco tam bém não era dele, mas de pessoa
que permitia que ele ficasse ali. Sua mulher é falecida e ele não tem parentes em Ji-Paraná. Vivia de pequenos
serviços, biscates, diárias. Saía de casa com sua bicicleta , dia sim, dia não, e voltava com seus mantimentos e
alimentos para os animais. Muitos desses alimentos e coisas eram fruto de das pessoas.
O senhor Jucardi era também pessoa geniosa e arranjava desavenças com a vizinhança em função dessa sua
característica. A principal delas ocorria porque ele criava patos, galinhas e possuía diversos cães. Esses cães
faziam arruaça no lugar, quando havia algum passante. Se o transeunte reagisse, ele saia logo em defesa dos
cães, inclusive maltratando as pessoas com palavras. Segundo relato dos moradores, ele construía um
“quebra-molas de terra”, para que os veículos diminuíssem a marcha, para não haver risco a seus cães.
Quando a “lombada” se desgastava, ele a reconstruía de novo.
Um dos moradores das imediações, naquele sinistro dia, se irritou um pouco mais com os cães do Senhor
Jucardi. Esse morador é daqueles que se entrega à embriaguez habitual, sendo também pessoa com
antecedentes por violência doméstica, o que já aponta personalidade violenta.
Então, o bêbado, homem de 38 anos de idade, foi até a casa de Jucardi, com sua faca de açougueiro. Sua
filha tentou impedi-lo, dizendo para que não fosse inclusive segurando a faca, mas ele estava irredutível,
dominado pelos mais sombrios de seus instintos sanguinários. Ele foi visto por vizinhos, com a faca indo para
o local do crime
Era princípio da noite de sábado. Na escuridão daquela área rural, na casa sem iluminação de luz elétrica,
surpreendeu o idoso. Covardemente, o matou com diversas facadas... por causa daqueles cães. A violência dos
golpes, repetidos e violentos, fizeram expor os órgãos internos da vítima, que foi abandonada sem vida no
chão de seu barraco. Depois disso, foi-se embora.
O Delegado que preside as investigações, Luís Carlos Hora, representou ao Poder Judiciário, quando então
foi decretada a prisão do autor.
As primeiras luzes do dia de hoje se deparou com a DH nas ruas. O autor foi encontrado em sua casa,
quando então foi preso. Sua residência foi vistoriada, aprendidas algumas facas e, inclusive, um calçado dele.
É que no local do crime, ficou uma “pegada” e o solado do calçado apreendido em tudo se assemelha a pegada
deixada lá.
Na Delegacia, o autor disse que não se lembra de ter ido à casa da vitima, nem tê -la assassinado de forma
brutal, com vários golpes de faca. Disse que “deu um branco”. Contudo, e le se lembra de sua bermuda suja de
sangue e da faca em sua casa, também suja de sangue. Era uma faca dessas de açougueiro, de cabo branco,
lâmina comprida e larga. Apesar de ter dito que não se lembra de matado o idoso, pegou a faca e a bermuda e
disse ter atirado no Rio Machado.

 


20200320 165039Logo 400x340OndaImg 20181118 wa005320191014 192419Img 20180328 wa0042

Todos os direitos reservados, site plantaocentral.com.br/agosto/2015

versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo