20201214 172001
Img 20200722 wa0668

Polícia

08/01/2021 15:13

Polícia Civil conclui inquérito de homicida que matou homem com 8 facadas em Ji-Paraná

A Polícia Civil, através da Delegacia de Homicídios de Ji-Paraná, sob o comando do Delegado Luis Carlos Hora, concluiu o Inquérito que apurou a morte de Guilherme Pereira de Souza,28 anos morto barbaramente a facadas no último, dia 27 de dezembro do ano passado, fato noticiado em diversos veículos de comunicação em Ji-Paraná e parte do estado de Rondônia. O homicida identificado como Charles
Depois do homicídio, o criminoso, identificado como Charles Souza dos Santos de 36 anos, após cometer o homicidio, abandonou a faca utilizada no crime e evadiu-se em uma motocicleta.
A Delegacia de homicídios assim que teve conhecimentos dos fatos iniciou as investigações, inclusive por representar pela prisão preventiva do homicida, sendo que Charles veio a se apresentar dois dias depois do bárbaro crime,
acompanhado por seu advogado, Charles durante seu depoimento permaneceu em silêncio e após os procedimentos foi recolhido ao
Presídio Central.
Na investigação foi purado que Charles era convivente de Lielma, 38 anos, com a qual possui uma filha de 10 anos de idade, Charles praticava toda sorte de violências contra a ex-mulher, sua filha e os filhos de Lielma de relacionamento anterior, de ameaças a lesões corporais e até chegou a mantê-la presa
em casa, não permitindo se quer que Lielma, saísse desacompanhada dele, sequer para visita a familiares. O filho mais velho de Lielma, inclusive, não suportou as humilhações e agressões constantes e foi embora para a casa
do pai. Lielma disse que certa vez Charles a trancou em um quarto enquanto procurava uma faca para mata-la, sendo que não encontrou a faca e veio para o quarto, quando desferiu violentos e repetidos socos em sua cabeça. As agressões eram de geande violência, que devido aos golpes causava tanta dor que ficou vários dias sem sequer poder pentear os cabelos.
Lielma vivia com medo e esclareceu que nunca teve oportunidade de procurar a Polícia, até o início de
2020, quando descobriu uma traição que Charles a traía com a mulher de um amigo do casal. Foi a partir daí, que Elielma procurou a
Polícia, onde registrou ocorrência, foi instaurado inquérito na Delegacia da Mulher e houve até medida
protetiva, sendo que, Charles mostrava toda audácia deserespeitando as restrições e continuava praticando toda sorte de agressões e perseguições, ofensas e humilhações que podia contra Elielma.
Assim, passou a andar pela casa a noite, afiando facas e com vidros de álcool, dizendo que iria matar
todos queimados, situação que deixou as crianças aterrorizadas. A situação atingiu o ponto de e
Charles expulsar Elielma de casa
com as crianças, de forma que ela foi morar de aluguel. Apesar disso, a violência não cessava. Ela vigiava
a casa constantemente, ameaçando, inclusive com envio de mensagens pelo celular de uma das crianças.
Lielma, o homicida Charles a vítima, Guilherme trabalhavam num mesmo frigorífico, Guilherme era amigo de infância de Lielma e também tornou-se amigo de Charles, todavia, o ciúme doentio de Charles, fez com que ele próprio se desentendesse com Guilherme e acabou espalhando boato na empresa que Lielma e Charles tinham um caso.
No dia do crime em uma visita que Guilherme fazia à Lielma, na varanda da casa dela, eis que Charles chegou às escondidas, partindo para cima de Elielma, depois de arrancar uma faca da cintura. Guilherme interferiu,
quando então Charles possuido de raiva e enfurecido pelo ciúme, Charles deu um golpe de extrema violência em
Guilherme que foi difícil retirar a faca. Guilherme tentou fugir, mas caiu no portão, ao mesmo tempo
em que Lielma e as crianças se trancavam dentro de casa para não serem mortos também. Charles vendo a vitima caída no chão, foi até o
Guilherme, ajoelhou-se sobre sua barriga e covardemente desferiu repetidos e violentos golpes de faca contra o peito
de Guilherme. Depois da tamanha barbárie, mostrou a faca ensanguentada para Lielma, dizendo que Elielma seria a próxima. Tudo foi
praticado na frente das crianças.
O proprietário da residência, Jair, ouviu os gritos de socorro e veio até a casa de Lielma, onde não pode fazer nada, apenas vendo,Guilherme caído no portão, enquanto Charles se evadia de motocicleta.
O Delegado, Luís Carlos Hora, que preside a investigação e analisando as provas da investigação, entendeu que houve dois crime contra a vida: o homicidio qualificado pela crueldade contra Guilherme e uma tentativa de feminicídio contra Lielma. Em consequência disso, o Delegado indiciou Charles que teria ido até a residência para matar Elielma, de acordo com o Delegado Luis Carlos Hora,Caso seja acolhida a indiciação, Charles estará sujeito a pena de 12 a 30 anos para cada crime.


Onda
Img 20180328 wa0042

Todos os direitos reservados, site plantaocentral.com.br/agosto/2015

Crie seu novo site Go7
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo