20201214 172001
Img 20200722 wa0668

Busca

Redes Sociais

Política

20/04/2021 09:04

Vereadores reelegem hoje filho do Isaú, presidente daCâmara

O mandato de reeleição só começa em 2023 e mais uma vez “Negão do Isaú” poderá nadar de braçada.

Da redação - Enquanto a Suprema Corte do Brasil barra a reeleição para presidentes do Senado e da Câmara na mesma legislatura, em Ji-Paraná, no interior de Rondônia, o poder Legislativo não só marca a eleição da mesa diretora da Câmara, numa tentativa de reeleger o atual presidente, como faz isso para garantir um mandato que só vai começar em 2023!
Isso é o que está na Pauta do Dia para acontecer nesta terça-feira, 20 de abril de 2021, durante a décima sessão ordinária da Câmara dos Vereadores de Ji-Paraná.
O atual presidente da Câmara de Ji-Paraná é “Negão do Isaú”, ou seja, o senhor Welinton Poggere Góes da Fonseca, filho do prefeito de Ji-Paraná Isaú Fonseca, ambos do MDB.
Apesar de ser um ato Legal, pois, a lei orgânica do município Ji-Paraná permite, torna-se um paradoxo porque o artigo 57 parágrafo quarto da Constituição Brasileira diz “Cada uma das Casas (Câmara e Senado) reunir-se-á em sessões preparatórias, a partir de 1º de fevereiro, no primeiro ano da legislatura, para a posse de seus membros e eleição das respectivas mesas, para mandato de dois anos, vedada a recondução para o mesmo cargo na eleição imediatamente subsequente”.
Outro ponto que, apesar de legal, torna-se conflitante, é que o filho do prefeito, apesar de ter mandato popular, na condição de chefe do legislativo, uma de suas atribuições é o de ser fiscal do prefeito.
Imagine se você, caro Leitor, fosse o presidente da Câmara e vosso pai fosse o prefeito, haveria alguma possibilidade de abrir contra ele uma CPI sendo que você teria o poder de engavetar tal investigação? Não é necessário responder, mas, infelizmente a legislação não prevê esse tipo de coisa. Por mais que possa haver lisura em todo o processo de relação entre a Câmara dos Vereadores com o Poder Executivo, essa prática comportamental levaria ao bizarro entendimento de uma suposta Dinastia Tupiniquim no poder made in Ji-Paraná.
O que chama a atenção é sobre o porquê da maioria dos vereadores submeterem-se ao casuísmo que mantém filho à frente do poder Legislativo cujo pai é o Prefeito da cidade? Quais seriam as vantagens tão grandes para beneficiar a população para os vereadores correrem o risco quanto a um possível sentimento popular de desconfiança quanto à lisura das coisas?
Em qual momento da campanha política se perdeu o discurso convincente da maioria dos vereadores empossados de lutar por um mandato em defesa do provo e não como serviçais às conveniências políticas do amor incondicional ao estilo de Popi Pai & Popi Filho?


OndaGif seu poder 300x250PubImg 20180328 wa0042

Todos os direitos reservados, site plantaocentral.com.br/agosto/2015

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo